quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Crônica de uma manhã abençoada (A Gisa e a todos irmãos do Grupo família)




Bebendo da fonte, sempre!

Mais uma visita ao Recanto da Transfiguração!
Mais uma vez retornamos de lá transfigurados por tudo que de lá recebemos!
Hoje, além da companhia sempre fraterna e especial de Serginho e Dalvinha, pude conhecer Ademário, Tio de Dalvinha, figura muito especial, que generosamente se dispôs a ir até as futuras instalações da Padaria Santo Antônio para nos dar dicas de dimensionamento e instalação dos futuros equipamentos que lá existirão!
Depois de apresentarmos a creche a ele, nos encontramos com "Tocha Gisa" que nos acompanhou até a obra, acompanhada de uma de suas fiéis escudeiras (Bete). Lá trocamos muitas informações importantes relativas à padaria e suas futuras instalações.
De lá fomos conhecer a Casa de Retiro Recanto da Transfiguração, aonde, com certeza, o Grupo Família ainda há de mergulhar em "águas mais profundas", de uma forma segura, responsável e abençoada!
Fomos, então, agradecer a Deus por aquela visita, na capela. Aí Gisa, mais uma vez, nos encantou e tocou a todos com a sua simplicidade santa, contando a linda história do tronco (acima, na foto), que sustenta o sacrário daquele lugar sagrado. Me senti no dever de partilhar com vocês, pedindo perdão, desde já, se me falhar algum detalhe. Na verdade, é a essência do caso que importa!

Parábolas de Gisa:
Saulinho, Saulinho, porque quer que me apegue?

Muito antes de Gisa receber o terreno que hoje abriga a creche e o recanto, houve um certo dia no qual um menininho órfão, de mais ou menos dois anos, a adotou. Seu nome, Saulinho!
Apareceu do nada, numa visita que ela fazia a certo local de pessoas carentes, agarrou a mão dela e a chamou de mãe!
Ela respondeu:
-"Posso ser sua tia!"
Ele retrucou:
-"Tia não serve pra nada, tem que ser mãe! Mãe é que serve pra tudo!"
E ali ficaram os dois, se curtindo, até que chegou a hora de ir embora e ela descobriu que a mãe dele tinha morrido e o pai não aparecia para pegá-lo...
Ela então foi com ele até o orfanato e lá disseram que se o pai não aparecesse até o fim da tarde ele seria enviado para a unidade tipo FEBEM. Enquanto esperavam, Saulinho dizia a Gisa:
-"Mãe, você não vai me deixar aqui não, né? Aqui fazem coisa ruim...Não me abandone, Mãe."
O tempo passando, o coração de Gisa apertando, nada do pai aparecer, até que chegou a hora de decidir...
Gisa disse ao menino, então:
"-É Saulinho, vamos embora"
E o menino se abriu num imenso sorriso e, todo feliz, foi para casa com ela, que a partir de então o adotou!
Neste ponto você deve estar se perguntando. Tá, mas e o tronco? O que tem a ver com tudo isso?
Calma, a história ainda não acabou...
Algum tempo depois de ser adotado por Gisa, que na época morava perto da praia, Saulinho apareceu um dia com uma novidade:
-"Mãe, tem um tronquinho na praia que está sozinho. O Pai e a mãe dele abandonaram ele lá e eu estou com medo, porque o mar vai levar e ele vai se afogar!"
Gisa, percebendo que Saulinho estava vendo a si próprio naquele tronquinho, entendeu a importância daquela preocupação e recolheu aquele tronco.  Como tinha permissão especial para ter a Eucaristia em casa, transformou-o em apoio para o sacrário.
Era ali que, diariamente, fazia suas orações e lia o Evangelho.
Certo dia notou que Saulinho estava brincando ali também e deixando alguns brinquedos espalhados bem na frente do sacrário! Como zelosa educadora e mãe tentou explicar que ali não era lugar para deixar aquela bagunça e ouviu de Saulinho:
-"Mãe, eu estava vindo brincar aqui porque achei que o menino Jesus devia estar muito chateado com você porque todo dia você só traz essas leituras chatas e fica rezando. Aí eu trouxe esses brinquedos pra ele se divertir! Mas se é pra tirar, eu vou deixar tudo arrumado, mas Ele vai ficar bravo é com você!"
Respirando fundo, Gisa respondeu:
-"Não, meu filho, pode deixar os brinquedos aí. Não quero Jesus aborrecido comigo não!"
O tempo passou, Saulinho virou Saulo e foi voar com as próprias asas aos 18 anos, já no Recanto da Transfiguração, lugar ao qual não se adaptou muito bem porque adorava surfar e achava que ali onde estava sua mãe Gisa o havia afastado das ondas e do mar...
Hoje, Saulo é um responsável pai de família e já teve a oportunidade de dizer a Gisa, diante de alguns meninos de rua, que aquele teria sido o futuro dele se ela não o tivesse resgatado, assim como fez com o "tronquinho abandonado"... Vá saber que ondas o levariam....

Pois é, mais uma linda, emocionante e inspiradora história desta guerreira fundadora, responsável por tantas transfigurações na vida de tantos "tronquinhos"!
Gisa, seu tronquinho ganhou raízes poderosas, cresceu forte e saudável e já deu até frutos!
O seu "Saulinho" a perseguiu porque viu em você a Luz! E era a esta luz que ele queria chamar de mãe, porque "mãe é que serve pra tudo!"
Obrigado por servir tantos testemunhos, tanta vivência cristã, a quem convive e a quem visita você!
Obrigado por nos alimentar de fé, amor, esperança e luz todas as vezes em que estamos em sua companhia! Obrigado por suas parábolas da verdade, Gisa, Sal da Terra e Luz do Mundo, humildemente brilhando pra quem quiser provar e ver como o Senhor é bom!

Se já me encantava com o altar e o apoio do sacrário antes de conhecer esta história, Gisa querida, como não contemplar ali, a partir de agora, o Amor que liga eternamente você, Saulinho e cada um de nós? Deus seja louvado!   

3 comentários:

  1. Maravilhoso e uma oportunidade Divina de poder estar com você Big nesse momento tão especial realmente suas palavras descrevem essa manhã abençoada.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso e uma oportunidade Divina de poder estar com você Big nesse momento tão especial realmente suas palavras descrevem essa manhã abençoada.

    ResponderExcluir
  3. Que história linda e inspiradora!!!

    ResponderExcluir