quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Sobre a luz da escuridão



Minha amiga
escuridão
irmã gêmea
da luz
com quem vive
dando as mãos
cobrindo
e descobrindo
o mundo
com seu capuz...

Minha amiga
escuridão
alma fêmea
do silêncio
com quem gosta
de trocar segredos
criando
e recriando
os sons
que metem medo...

Minha amiga
escuridão
prima adêmea
da sombra
com quem sempre
troca impressões
fazendo
e refazendo
imagens
e ilusões...

Quantas abóboras rolaram?



Poesia é doce, 
poesia é travessura, 
poesia é quase bruxaria, 
no seu encantamento 
de candura...

Poesia é noite
poesia é nua
poesia é quase calmaria
no seu deslumbramento
sob a lua...

Poesia é preparo
poesia é poção
poesia é alma que esvazia
todo sentimento
no caldeirão...

Poesia é vassoura
poesia é condão
poesia é seguir a estrela guia
sem deixar de estar atento
ao chão...

Yo creo en las brujas



Poetas acreditam 
em bruxas
mesmo sem jamais
terem visto alguma...

Uma simples bruma
pode ser, enfim,
uma ducha
de verdade fria
sobre a incredulidade
de quem nunca
viu duendes
no jardim...

Poetas acreditam
em monstros
mesmo sem nunca
terem visto algum...

Talvez uns goles 
de rum
possam ser 
uma explicação
para alguns encontros
com a realidade
e com o horror
de achar os monstros
dentro do próprio
coração

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Segredos ao pé do ouvido



Vozes se calam
quando os olhos falam
sobre coisas
que simplesmente exalam
de dentro de alguém...

Pazes se fazem
quando abraços trazem
tantos silêncios
que ternamente satisfazem
o centro de alguém...

Mas isso só acontece
quando dois tecem 
a mesma rede
quando dois se esquecem
na mesma sede
por um depois!

Bocas se alagam
quando línguas se indagam
entre beijos
que docemente tragam
os mares de alguém...

Mãos se desvendam
quando sonhos se emendam
entre carinhos
que levemente invadam
os lares de alguém...

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Leveza



Leve sobre a pele
minha poesia como tatuagem
uma miragem
no deserto da existência
a persistência
até um oásis na paisagem...

Beba dessa água
transparente
deixe fluir o que sente
sem dar vazão
a qualquer mágoa...

Que arda apenas a lua 
no céu da madrugada
e o seu olhar seja a rua
onde se esquecem os dilemas
sobre a areia nua
contornos de poemas
onde se abandonam problemas
e o horizonte vira estrada!




Passaporte pro amor



Se você puder
deixe pegadas
pra eu te seguir
até seus sonhos...

Não apague
seu rastro na estrada
deixa eu invadir
o país dos seus sonhos...

Não me pare na fronteira
me deixe passar com um sorriso
as suas boas vindas
são os carimbos que preciso...

Nada mais, nada menos
que um olhar acolhedor e
minhas digitais reconhecidas
no passaporte pro amor...



De surpresa



Faça suas 
minhas palavras
apenas se elas
expressarem
seus sentimentos...
Que elas possam 
ser janelas
do seu pensamento
tirando-o para dançar
com o vento
na hora em que
voce menos esperar...

Faço minhas
suas palavras
apenas se elas
refletirem
o seu olhar...
Que elas possam
ser aquarelas
do seu momento
tirando meus olhos
pra dançar
com o firmamento
no tempo que for bom
pra semear...

Perdas e Traumas



Hoje fui exercer meu dever de cidadão com um olhar mais crítico que nunca.
E pude constatar, num misto de tristeza e esperança, o quanto o PT perdeu nesta eleição.
Não sei se pelo despreparo de seu candidato, se pela inoperancia do governador do estado ou pela sequencia de atitudes e discursos incoerentes com sua própria história no âmbito federal, mas acredito que o PT perdeu o que havia de mais bonito e invejado em sua trajetória como partido político: o entusiasmo, o comprometimento, o voluntariado e a força de seus militantes. E isso é triste, muito triste. 
Até mesmo o mais ardoroso oposicionista do PT não era capaz de negar o quanto impressionava aquela mobilização, aquela ideologia expressa em presença, atitudes, 
gestos e manifestações repletas de uma paixão e uma esperança que, embora beirassem o fanatismo, tinham uma beleza, uma entrega e um tipo de pureza que nenhum outro partido conseguia.
Não foi assim hoje!
Embora em maior número, os militantes do PT atual se transformaram em bandeiristas. A grande maioria recebendo para estar ali, sem entusiasmo, sem brilho no olhar. Alguns inclusive explanando isso à boca pequena e ostentando o adesivo do adversário na roupa e a bandeira do PT na mão.
Triste de se ver...
Porque o PT tinha tudo pra fazer diferente quando chegasse no poder. Tinha a obrigação de retribuir tanto envolvimento e governar com o mesmo brilho no olhar, fazendo a diferença, como a sua militância fazia. Mas não foi assim...
O mensalão, as alianças com adversários históricos, as contradições, os esquemas de corrupção, a debandada de integrantes respeitados, tudo isso foi esvaziando aos poucos a credibilidade do PT.
Lula perdeu o viço. Dirceu perdeu o norte. Dilma perdeu o prumo. Genoíno perdeu o caminho. O Partido dos Trabalhadores perdeu o sentido. E perdeu muito mais, perdeu o apoio amplo, geral e irrestrito de sua militância e, assim, se perdeu!
Triste de ver...
A história hoje passou em quadros na janela do carro e eu pude sentir o tamanho da perda do PT.
Gente como Pinheiro, Zezéu,  Moema, Gabrielli, entre outras lideranças, deve ter percebido esta transformação com muito mais dor e deve estar meditando o seu porque.
Lula, Dilma, Wagner e Pelegrino devem estar se questionando sobre o porque de não conseguirem convencer mais como faziam antes.
É muito simples: Discurso sem atitude não engana mais.
Mas depois de tanta tristeza, é hora de falar de esperança.
Quem sabe todo este desarranjo sirva para o PT e os outros partidos deste país retornarem às suas raízes. 
Na hora de negociar salários com professores e policiais, na hora de se posicionar eticamente, na hora de lidar com a oposição, na hora de se posicionar em relação à corrupção, enfim, na própria relação com o poder, revisitar as raízes pode trazer uma inspiração mais positiva do que este arremedo que aí está, no executivo e no legislativo.
Quem sabe, nas próximas eleições, possamos ver novamente gente envolvida nas ruas, voluntariamente se engajando num projeto por acreditar nele, fazendo este ou aquele candidato e partido babar de inveja...
Aí sim, será bonito e muito alegre de se ver!
Acorda PT! Acorda Brasil...

domingo, 28 de outubro de 2012

Xadrez ou Detetive?


O rei está morto.
Viva o novo rei! 
Culpados? 
Estão por todo o lado...
A Srta Rosa ou a Torre? 
O Coroel Mostarda ou o Bispo? 
Dona Violeta ou o cavalo? 
Há sangue no tabuleiro ou na sala de estar? 
Foi Dona Branca na casa preta ou na Biblioteca? 
Ou foi o Prof. Black na casa branca ou na sala de jantar? 
Os peões, em polvorosa, correm pra lá e pra cá, alguns preferem se calar, "en passant", esperando a vez de se modificar... 
Peões viram Damas, Cavalos, Torres, Bispos, podem escolher no que vão se transformar, ao chegar na oitava casa do tabuleiro... 
Mas, na maioria das vezes, encontram um Rei assassinado, falando em ressuscitar! 
Triste ver que alguns bispos querem tomar seu lugar... 
No preto e branco da vida, a insegurança insiste em nos cercar. 
Revolveres, canos, cordas, candelabros, facas, chaves inglesas, tudo serve pra matar! 
E neste tabuleiro de abate, a pior das verdades é que é a humanidade quem está em xeque-mate...

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Quem dá mais?



Vale mais
a promessa
ou o tempo
de ser?

Vale viver
com pressa
ou parar pra
entender?

Vale acelerar
as coisas
só pagando
pra ver?

Ou vale
amar as pessoas
sendo apenas
você?

Vale se levar a vida
como vela no vento?
Ou saber velar o sonho
no melhor pensamento?

Tirando o chapéu



Ninho, vinho,
linho, passarinho!
Casa, rasa, 
brasa, bate as asas!

Ganha o céu
prova o mel
tiro o chapéu
pra quem tira o véu!

Traga o sol,
caracol,
giro meu cachecol
como a luz gira no farol!

Manhã, anfitriã, 
maçã dançando com hortelã
Ganho, tamanho,
Banho de sol, seu olhar castanho!

Ganha o céu
prova o mel
tiro o chapéu
pra quem tira o véu!

Traga o sol,
caracol,
giro meu cachecol
como a luz gira no farol!

CRISMA, um voto de fé (Para Let)



Confirme
o que você
pensa
o que te faz
ser você
o que te torna
intensa
o que te faz
crer!

Confirme
o que você
acredita
o que te mantém
de pé
o que te faz
bendita
plena de paz
e de fé!

Confirme
o que você
concorda
o que te faz
crescer
a cruz não
pode ser corda
a luz
não deve prender!

Confirme
o que você
vive
o que te faz
sonhar
o que te torna
livre
o que te faz
voar!

Confirme
a parábola
que te toca
a mensagem
que completa
o evangelho
que te choca
a palavra
que te inquieta!

Confirme
o que você foi
o que você é
o que você quer ser
nos campos da fé!

Às suas marcas



Conto o tempo
de aguardar
num banquinho
de jardim
ou numa sala
de espera
tempo insiste
em demorar
reunião, cliente,
sim,
flor, estação,
primavera
tudo isso
sempre zera
a paciência em mim!

E, no entanto,
tonto eu tento
me reanimar
todo canto
tem o intento
de tentar
um novo passo
um velho abraço
dar novas formas
ao velho jeito
de pensar!

Canto o templo
de encontrar
num cantinho
aqui em mim
um novo plano,
uma era
que resiste
em se mostrar
negação, gente
ruim
cor, relação,
tudo à vera
compromisso
que tempera
a consciência em mim!



Pequena parábola sobre Gênesis e Apocalipse



Assim foi dito:

"Crescei e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a. Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra." (Gênesis 1,28


E para isso fomos agraciados com a inteligência, a racionalidade!
Mas este dom não veio sozinho...
E uma de suas más companhias é a vaidade...
A vaidade encheu o peito de orgulho e levou muito a sério esta coisa de "dominar e submeter a terra". 


E foi crescendo, se agigantando, até o ponto de superar a inteligência e a racionalidade, transformando submissão e domínio em destruição...
E a vaidade começou a destruir a Terra!
Pior. A vaidade não permite que os olhos se abram à razão!


E os peixes do mar estão se extinguindo...
E as aves no céu estão rareando...
E os animais da terra se reduzindo...
E o mar e o céu se acinzentando...
E o planeta morrendo, de mãos dadas com a racionalidade e a inteligência humanas...
E a vaidade sorrindo: se achando!
Inflada no seu orgulho egocêntrico, não percebe, e não quer que ninguém perceba, que tudo está se desequilibrando!


Apesar dos sinais, apesar das profecias, apesar das previsões, simplesmente continuamos!
O incrível é que a catástrofe ambiental que estamos produzindo é uma das poucas coisas com a qual concordam religião e ciência...
E, mesmo assim, simplesmente continuamos!
Crescendo, nos multiplicando, dominando, submetendo...
Não mais só a terra, os peixes, as ave, os animais...
Dominamos e submetemos a nós mesmos, aos nossos iguais...

São semelhantes nossos que se arrastam pela terra à procura de água, comida e razão...
Dominação!
Desconstrução!
Destruição!
Alheia à toda criação e à toda evolução, a racionalidade involui, dominada pela vaidade!
Vivemos por um futuro sem sentido!
A visão deu lugar ao cego? Faça-se a escuridão!
A audição deu lugar aos surdos? Faça-se a ignorância!
O paladar deu lugar à gula! Faça-se o insaciável!
O olfato deu lugar à podridão! Faça-se o insensível!
O tato deu lugar ao virtual! Faça-se o intocável!
E continuamos a destruir:
o abraço, o diálogo, as famílias, os sonhos, a fé...
Até que, novamente, quando só houver trevas,
após uma profunda e cuidadosa reflexão,
Deus resolva refazer a criação e,
revisando cada tom de céus e mares azuis,
repita confiante: "Faça-se a Luz!

Justiça




No país da preguiça
foi feita justiça!
Celebrem uma missa
foi feita justiça!

No país da cobiça
foi feita justiça!
Caíram "premissas"
foi feita justiça!

Foi feita justiça
no país das carniças
Lembrou a Suíça
foi feita justiça!

Façamos justiça
a esta nação omissa
no país da injustiça
foi feita justiça!

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

O canto do eleitor indignado



Me bata
um abacate
Me jogue
na parede
Me dê um tapa,
me mate,
Me desconecte
da rede!

Me chame
lagartixa
Me faça
uma garapa
Me jogue
da janela
Me enforque
nos Arcos da Lapa!

Sou só
um eleitor
por favor
tenha dó
não quero
mais ator,
nem promessa
e gogó...

Me jogue
inseticida
Me faça
um vira-lata
acabe com
minha vida
me pise
igual barata

Me troque
por centavos
Me engane
com promessas
sou só mais
um mendigo,
amigo
às avessas


Não quero
mais ator,
nem promessa
e gogó...

Sou só
um eleitor
por favor
tenha dó!


A pior cegueira!



O pior cego
não é o que não quer ver,
é o que não quer
transformar!
É o que prefere
a sombra e a escuridão
da alma
e se esconde da luz!
É o que opta
por se camuflar
no meio da multidão,
sendo só mais um!
É o que não tem
a vontade de ser
ou de fazer diferente!
O pior cego é o que vê
mas não se manifesta!
É o que enxerga,
mas não se expressa!
É o que olha,
mas não reage!
Sofre de falta
de coragem!
O pior cego
é maioria,
sempre!
Por isso
o mundo
anda tateando
por aí,
sem saber onde vai
e, quando decide ir,
procura sempre
os caminhos
que conhece,
buscando o abrigo,
fugindo do perigo
do desconhecido!
O pior cego
é o que não
arrisca um passo
com medo do abismo
e o que não oferece
um abraço
por puro comodismo!
O pior cego
sou eu. é você,
que não conseguimos
nem ver,nem cuidar,
nem amar,
quem está ao nosso lado!

Sem explicação



Tento entender
o seu amor
muitas vezes
não consigo
o que pode
parecer abrigo
muitas vezes
é só furor!

Tente entender
o meu amor
mas pode crer
que eu duvido
duvido que você
dê ouvido
ao que seu coração
captou...

Tentem entender
qualquer amor
não é premiação
não é castigo
não há explicação
é pão e trigo
são partes que o bem
multiplicou!

Tente entender
o que calou...
O amor fala em gestos
primitivos,
silencioso manifesto,
brilho vivo,
nos olhos de quem
já se abandonou...


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Áquila



A águia pousou!
E seu olhar se derramou
sobre a Terra!
E para se aproximar
ainda mais da Terra,
vejam só,
a águia voou!
Enxergando muito além
dos habituais horizontes,
a águia levitou
nos braços do vento
num sentimento puro
de paz,
êxtase e amor!
A águia se fartou!
Provou os cachos,
tocou os riachos,
caçou, se alimentou,
depois parou...
Afiou suas garras,
desafiou as amarras,
agigantou suas asas,
e transformou
olhares em casas!
Milhares de casas!
A águia se completou!
E o seu vôo
foi registrado!
Um vôo iluminado,
predestinado,
que enfim
o céu tocou!

Apocalíptico



Logo mais será já foi
e o tempo não vai voltar
pra estender a mão
ao que poderia ter sido!

Você pode não escutar
e isto não te faz menor
nem me faz maior!
Nenhuma das duas coisas
faz algum sentido!

Somos todos
semelhantes
quando o sol
é o espelho!
Somos brilho
e diamante,
estando de pé
ou de joelhos!

Logo mais será já era
e o sonho não vai passar
numa outra sessão
no fim dos tempos!

Você pode não enxergar
e isto não te faz pior
e nem me faz melhor!
Nenhum de nós
deve servir de exemplo!

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Improvável...


Não ultrapasse os limites
do aceitável!
Não avance
muito além do tolerável!

Pode ser tão desagradável
tão desfavorável,
tão insuportável,
que é melhor
nem testar!
Melhor nem tentar!

É inimaginável
que uma pessoa
se ache tão melhor
que qualquer outra

Somos todos  poeira
no fim das contas
afinal nem o universo
é estável!

Viver é simplesmente
marcar o encontro 
com o inadiável,
inevitável!

sábado, 13 de outubro de 2012

Nem todos os caminhos levam a Roma!



Nem todos
os caminhos
são mapas
ou pergaminhos
para Roma!

Há tantos
atalhos
e destinos
tantos altares
e hinos
tantos lugares
tantos comas!

Nem todos
os espinhos
são tapas
ou carinhos,
há redomas!

Há tantos
galhos
tantos ninhos
tantos azares
e descaminhos
tantos bares
e axiomas!

Fora dos muros
da sua cidade
muitos se sentem
mais seguros
no fim da tarde!

São seis horas
mas nem todos
escutam a Ave Maria
de Gounod!
Isso não importa!
Até a própria virgem
sabe que são vários
os caminhos
para o Amor!


Correrias


Há tanto a fazer
e tão pouco tempo,
tão pouco tempo
pro tanto que tenho
de querer aqui dentro!

Há algo a fazer
que não me lembro
já passou setembro
e eu esqueci
o que é que eu ia fazer!

Há muito a fazer
mas não dá tempo
então não se faz nada
pra não se perder tempo
tentando fazer!
 
Há pouco eu ia fazer
o que não me lembrava
aí me lembrei de esquecer
de tudo que não importava

Ah, lembrei!
Eu tinha alguma coisa
a dizer!
Fazer o que?
Escrever!

Há pão sobre todas as mesas



Imunize-se!

Torne-se mais santo
sem, no entanto,
se contaminar!

Ser melhor
não é apenas
uma questão
de se adaptar!

Prevenir
e vacinar
o outro
também
é cuidar!

Escolha
sem pestanejar!

Um milk shake gelado
ou um chá bem quente
nada de se expor ao torno,
tornar-se morno
e se desperdiçar!

Siga seus valores
viva suas dores
sem esquecer
de respeitar
visões diferentes
das suas!
Há vários olhares
pelas ruas
alguns perdidos
outros repletos de sentido
outros que apenas miram a lua
por fitar!

Em todos eles há beleza
há pão sobre todas as mesas
difícil é querer partilhar!

Esboço



Alguma coisa me diz
que pra ser feliz
não precisa tanto esforço
basta saber-se aprendiz
saber-se esboço
entre o que se faz
e o que se diz!

Alguma coisa me diz
que a felicidade está
a um palmo do nariz
na direção do céu
é só cuidar do pensamento
na direção da terra
é só seguir o sentimento!

Alguma coisa me diz
que nada é tão dificil
como parece...
A rede que se tece
o sonho que se esquece
o tempo pra uma prece
desarmar a palavra
que se diz...

Alguma coisa
simplesmente
me diz!

só de vez em quando





De vez em quando
diga pra realidade
que um pouco de fantasia
 faz bem de verdade!

O mundo anda muito frio?
Antes que encurte o pavio,
reacenda a chama!
Coloque tudo o que você ama
em volta da lareira
e fique assim, de bobeira...

De quando em vez
volte a contar sua história
é bom pra memória
e funciona contra a insensatez...

O ar anda meio pesado?
Antes de ficar conformado,
respire bem fundo!
Depois, por alguns segundos,
prenda a respiração
até acelerar o coração...

E antes de se perguntar
quando será a sua vez,
ao invés de se questionar,
que tal agradecer quem te fez?

De vez em quando
Quando se sentir abalado,
diga a você mesmo
com licença e obrigado!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Nunca é tanto sempre!



Sempre
é tanto
tempo
que assim
como nunca
não deve
servir
pra medir
razão
ou sentimento
quando
o assunto
é existir!

Quem
pode
saber
o que virá
depois
do agora?

O presente
é estar
vivo
livre
inteiro
novo
estreando
e estrelando
cada segundo
cada momento
cada sorriso
cada lamento
cada suspiro
cada unguento
por que viver
e sentir,
pensar
e existir,
sonhar
e construir ,
regar
e florir,
chegar
e partir,
chorar
e sorrir,
são pequenos
grandiosos milagres
que fazem
a vida valer,
que valem
a vida seguir!


domingo, 7 de outubro de 2012

Sodadifia



Saudade
uma palavra
com jeito de lamento
fluida de sentimento
e de vontade de encontrar!

Querer se transformar
em sala de estar
por um momento
e sem palavras
simplesmente
aproveitar!

Preencher o vazio
degustar o abraço
celebrar a presença
sem hora pra acabar!


Saudade
uma palavra
com peito e sentimento
ausência de momento
certeza de encontrar!


Depois de amanhã



Depois de amanhã
lembre de anteontem
que as voltas do ponteiro
novos sonhos nos contem

Não que nos interesse
o dia da semana
ou a data precisa...
E sim uma prece
além da dimensão humana
que só a fé sinaliza!

Depois da mudança
lembre suas raízes
seu tempo de criança
seus dias mais felizes

Sobre o altar da vida!




Qualquer dia desses
me liga e me diga
que quer me encontrar
pra Celebrar a vida
jogar conversa dentro
porque um bom papo
não se desperdiça
só nos recicla no centro...

Então façamos justiça
à palavra amizade
que seja uma verdade
vivida sem preguiça
não precisa de mesa
não precisa bebida
basta a chama acesa
sobre o altar da vida!

Qualquer hora dessas
se cale e me fale
sobre os velhos tempos
lembre os herois e exemplos
as canções e os momentos
que viraram infinito
nas emoções e sentimentos
de um tempo bem mais bonito!

Então façamos justiça
à palavra amizade
que seja uma verdade
vivida sem preguiça
não precisa de mesa
não precisa bebida
basta a chama acesa
sobre o altar da vida!