quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Triste oração de despedida



De repente
um amigo se vai...

Sem dizer adeus,
sem falar do porque,
sem razão aparente,
simplesmente se esvai
nesse caminho,
se faz invisível,
transparente...

Ainda outro dia
me chamava de anjo...

Sem asas ou auréola
eu me debatia,
sem poder aceitar
o generoso apelido
e, agora, 
sem nenhum sentido,
se transforma 
em um amigo sumido,
de uma para outra hora...

O jardineiro imolado,
na madrugada sentida,
escolheu alguém do seu agrado,
pra revelar seu estado,
na aleluia da Vida...

E a humanidade,
ao seu lado,
como Madalena
arrependida,
apenas dizia obrigado,
numa triste oração
de despedida...




Quixote sem cruzada



De tão 
pequeno
que fiquei
quando perdi
suas pegadas,
não pude mais
ser rei,
nem ao menos
cavaleiro
de cruzadas...
Na humilde
imensidão
da caminhada,
um mero menestrel
eu me tornei...
Criando poesia
com a cilada
e fazendo piada
da melancolia...
E de tanto
rimar a luz
com a madrugada
no menor dos gigantes
eu me transformei,
cavaleiro errante,
quixote sem cruzada!

Sorriso na fonte



Olhe pro céu
e sorria
pra Deus,
como quem
posa pra
uma fotografia!

Ao sorrir
seus olhos
espelham
as estrelas
e brilham
pra existência,
em pulsos
de luz...

Nada é
simples acaso,
pode ter certeza,
há razões 
de sobra
até para 
as coincidências...

Olhe pros
olhos de alguém
e sorria!
Como quem
vive uma 
linda fantasia!
Há tantos 
horizontes
entre os
azuis...

Olhar
pode ser
ponte...
Sorriso
pode ser
a fonte
que conduz
alguém
em pleno 
"front"...

Então
olhe pra
defronte
do espelho,
cante uma
canção,
declame
uma poesia,
agradeça
a Deus
pela vida
e sorria!



segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Fora do ar


Fora do ar
por alguns dias
longe das vias
virtuais
o papo inverso
manteve a poesia
longe da agonia
de não poder
dizer mais...

Escrever
é respirar!
Inalar o mundo
e oxigenar a ispiração...
Deixar circular
a emoção
e expirar...

Fora do mar
de si mesmo
inundar
a realidade
com um que
de fantasia
transformando
o silêncio que havia
em gente se transformando!

Pietá


Piedade, 
Senhora,
para estas 
mais de 200 mães
que derretem
suas lágrimas
pelos seus filhos...

Piedade,
Senhora,
para estes corações
traspassados
pelas espadas de dor
que o teu amor de mãe
também experimentou...

Piedade,
Senhora, 
para estas famílias
imersas 
numa mistura
de saudade
e indignação
traduzindo a dor
de uma nação...

Piedade...
Piedade...
Santa Maria...

Dor



Dor...
Queimando
mais que fogo!
Famílias em luto
depois da balada...
Tragédia
na madrugada
de Santa Maria...
Incêndio e dor
que não se apagam
nem com as lágrimas
de um país inteiro!
Lágrimas de agonia...
Dor de cada
brasileiro,
pela prematura
partida
de gente 
tão jovem!
Alta temperatura...
Sinais de fumaça
em uma nação
que adora um jeitinho...
Mas e agora,
que já foi feito?
Como é que dá jeito?
Alvará novo
se expede...
O espaço
se reforma...
Mas e as pessoas,
as vidas?
Quem pega o vazio
e transforma?
Dor...
Queimando
mais que chama...
E diante do drama,
repensar 
todas as normas
pra poder
virar o jogo
e estar atento
aos sinais,
porque
onde há fumaça,
há fogo...


sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Trato de vida



Faça uma média
com o tempo,

solte um pouco
suas rédeas
deixe as madeixas
dançarem livres
com o vento,
solte um grito rouco
louco é quem
não se lança...
Quem já se cansa
antes de tentar,
jamais alcança
outro lugar...

Faça um pacto
com a vida
solte o sorriso
galope com raça
no centro da praça
declame uma canção
de improviso,
deságue a emoção!
Chame o presente
num canto,
aproveite sua deixa
e lasque-lhe um aviso:
chega de queixa!
E o futuro
que não venha
com contradição!
Se permita
saborear um suflê
de ameixa
e, se der vontade,
repita,
agradecendo,
numa oração...

Faça uma graça
com o sonho,
não permita
que ele vire lenda...
Acenda a lareira
do seu coração!
Retire as vendas...
Do brinde 
à saideira,
se permita
um porre de ilusão!
Pode ser passageira,
mas quem não é
nesse vagão?
Melhor ter esta
companheira
que sentar
ao lado da solidão...

Faça um trato
com o destino:
diariamente
hasteie a bandeira
e entoe o hino
da sua própria nação!
Aquela que te fez você
desde os tempos 
de criança
e que sempre mantém 
a esperança
de te ver crescer...
Espiritual cidadão
no centro 
de seu próprio país,
dando vazão
ao direito e ao dever
de ser feliz!


Vida de lego



Não, 
definitivamente,
a vida não é 
uma trama
contra vocé!
Chega de drama!
A vida é
o que se quer!
Então pare
pra se perguntar
o que voce busca?
O que tanto
te ofusca
pra te impedir
de brilhar?
Não, 
definitivamente,
a vida não gira
em torno de você!
Todos nós
temos problemas
e nem por isso
viver tem que ser
um dilema,
não tem porque...
Não há razão
pra se fazer dilúvio
em xícara de café,
se perdendo
em contradições
que só minam a fé
que você deveria
ter em você!
Não,
definitivamente,
a vida é muito mais
do que você
quer ver...
E ficar cego
ao que te rodeia
se fazendo de "lego"
em nada vai ajudar!
Aproveite
cada manhã
pra se libertar!
A amizade
é sempre 
porta aberta
só precisa 
cuidado
pra não se
transformar
numa esquina 
deserta...
Atenção
a hora de
atracessar...

Aproveite o instante



Adoce o tempo
com a mania
de dar o exemplo
mas faça isso
com alegria,
com o compromisso
de quem dignifica
o próprio templo
da consciência,
oferecendo amor
no altar da existência!

Espalhe o sonho
e a poesia
colhendo alguns
grãos de fantasia
no travesseiro,
seja viveiro
da felicidade,
cante a verdade
até debaixo 
do chuveiro!

Aproveite
o instante
espelhe 
em seus gestos
os manifestos
mais profundos
dos livros 
da sua estante!
Seja dissonante,
faça a diferença
sem perder a harmonia
respeite as pessoas
e seus mundos
suas variantes
e suas crenças,
como as estrelas
da noite
e as surpresas
do dia!

Seja o que queria
nas suas ilusões infantis
nas viagens da sua juventude,
seja simplesmente feliz!



terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Paz de violão (Ao querido Luiz, tio, padrinho e inspiração para tanto em mim, uma homenagem cheia de saudade, emoção e amor!)



O velho violão se calou...
Adormeceu o caçador...
O ecológico senhor
à frente do seu tempo
descansou...
Feliz, de um jeito só seu,
agora está nos braços
de Deus, nosso Luiz!
Embalado por algum
acorde perfeito...
O velho sonhador,
perdido em seu amor,
fez segredo da própria dor
e eternizou-se sem medo...
Tanta coisa ele levou...
Tanto talento...
Tanto sentimento!
E a genialidade que guardou...
Levou também
muitas canções de saudades
tocadas no coração
de quem ficou...
Um grande vazio
no peito,
desse sujeito
que já conheci meu tio,
mas que me transformou
em muito mais que um sobrinho...
Foi companheiro
de aventura,
professor de ecologia,
presença na minha procura,
amigo na minha agonia!
Coisa de pele,
coisa de olhar,
coisa de gostar
e me identificar, 
além dos laços de sangue!
Talvez por isso,
ainda pequeno,
menino no ninho,
tenha olhado
pro Luiz Carlos,
escutado o irmão de meu pai
e dali pra frente escolhido
o Tio Luiz como padrinho!
Agora, além de chorar,
agradecer e rezar,
imagino o abraço fraterno,
dos irmãos e da caçula querida
transformando em eterno
o lindo amor que partilharam em vida!


segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Cultivo do aceito



O leito
onde a amizade
repousa 
é o respeito!
Entender
que cada um
tem seu tempo
é também
a maneira 
de consagrar
o sacerdócio
do querer bem
no altar
do próprio
templo!
Saber estender
a mão e o peito
estando preparado
para a recusa
ou para a 
aceitação
porque ninguém
é perfeito!
Aprender
que o que pra um
é defeito,
pra outro 
pode ser
superação...
Amizade
é o cultivo
do aceito,
é feito
convivência
de irmão...
Dever
e direito
limiar estreito
de uma relação...
Um jeito
de alegrar
um coração...

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Analfabeto virtual



Por favor
traduzam
o dialeto
do irreal...
Parece
que virei
analfabeto
de um esperanto
virtual...
O que querem
dizer estes
símbolos?
O que querem 
falar estas
misturas?
Por favor
me ajudem
na procura
de entender
o que quiseram
comunicar...
Gostaria
de dialogar
com os manifestos
mais sucintos,
falar a língua
do atual...
Então
me ofereçam
uma taça
deste vinho tinto,
deste mix
de improvisos
digitais!
Um brinde
aos compositores
da net linguística!
E que eles tenham
sabedoria e paciência
para virarem também
transmissores
desta nova ciência
para nosotros,
humildes
ignorantes
necessitando
de atenção especial.

Educação mandou lembranças



Educação
mandou lembranças
tirem as crianças
da cidade virtual
ressuscitem
algum quintal
dêem asas 
ao pensamento
receber tudo
já feito
além de intimidar
o jeito pessoal
atrasa o sentimento,
faz da mesmice
um oxigênio
rarefeito 
e da burrice
um horizonte
natural...
Criança precisa
de peito!
Educação
mandou lembranças
coloquem limites
nos canais,
comunicação
de olhar
é essencial
pra toda relação
que busca mais!
Onde estão 
os pais?
Onde está
a paz?
Educação
mandou lembranças
mas parece
que pra imensa maioria
tanto faz...

Papo de brother



De que você tem medo irmão?
Qual é o seu segredo?
Será que ainda é cedo
pra voce transformar
a canção no seu brinquedo?
Só é preciso coração...
Um toque de emoção,
na voz, no violão e nos dedos...

Do que voce precisa irmão
além do seu talento?
Será que vai ser tarde
pra voce mergulhar
no auto-desapego?
Deixe o outro falar,
deixem julgar sua criação
e seu enredo...

É mais 
importante
sorrir
que agradar...

Tente trocar
o seu terror
pelo simples 
amor de cantar!

Será sempre
mais verdadeiro...

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Flocos de neve




Toque alguém de leve
com uma palavra
ou com um olhar
feito um floco de neve
que pra derreter
nem precisa encostar...

Carinhos são sonhos 
tão breves,
quem se atreve
a não se entregar?

Canções 
que o tempo nos deve
que o vento carregue
nos braços do ar...

E cheguem,
sem nos avisar,
beijando os ouvidos
trazendo aos sentidos
o sentido de amar!

Uma piscina no meio do oceano




Nas desventuras de Pi, a aventura da vida!
Nossas pequenas gotas de água se juntam...
Céu, mar e horizonte, trindade infinita, bonita!
Almas cristalinas como o olharde uma fera!
Oceano de questões, ondas de certeza, tempestades de fé!
"Há diversos quartos para as dúvidas..."
Há imersos fatos para trocas...
Há razões de sobra para apostar na fantasia...
E a emoção nos cobra o pé no chão de cada dia!
Dentro de nós há tantas moradas...
Como a casa de um Pai...
E se a ciência explica rapidamente o que a religião não consegue,
no centro de cada um, o que vale é aquilo em que se acredita!
Este é o alimento!
A escolha diária!
E é também o tormento...
O peso de decidir sozinho!
Batismo da vida!
Afogamento...
Naufrágio em si mesmo...
No esmo do seu deserto de luz...
Barco sem rumo, sumo da vida!
É o tigre que nos mantém vivos!
A busca do equilíbrio ofusca todo medo!
Nos ensina os segredos para domesticar a dor e o terror...
No meio do oceano uma piscina vazou!
E os pés em terra firme passaram o filme da contradição...
A ilha é a inversão de alguns valores...
Vegetal carnívoro, devorando alguns amores...
A dúvida é a maior segurança. O risco, o grande porto seguro!
O barco, um marco pro homem criança!
A esperança é mais profunda que a imensidão dos azuis!
O tigre de volta à selva, sem olhar pra trás...
O homem de volta à terra, procurando a própria paz...
"Qual a história que voce prefere?"
Qual a melhor forma de enxergar a vida?
A eterna proximidade do fim ou a terna simplicidade do sim?
"Com Deus também é assim"...
Acreditar é simples! Como um dilúvio...
É só cruzar oceanos, se entregar a seus planos 
e transformar danos e enganos em lições...
3,14...
Pi...
4 animais, 1 Deus que é 3...
Uma piscina no meio do oceano,
se desfazendo, se derramando, se misturando...
Nos ensinando a ser mais insanos,
na arca de um viajante humano!

domingo, 13 de janeiro de 2013

Pajens da Madrugada



Depois 
de alguma
curva
na estrada
quando
a vista
turva
diante
do nada
o precipício
convida
para a
caminhada
nas nuvens
do firmamento...
Brancas
paradas
em movimento,
onde todas
as pegadas
são apagadas
pelo sopro
dos ventos...
Pajens
da madrugada!
Depois 
de alguma
chuva
desavisada,
o sol
chama
a alvorada
pra secar
as uvas,
quem sabe
um brinde
tinto
com uma 
estrela
atrasada,
celebrando
um novo dia
ou saudando
um novo tempo!

Viagem de vida



Uma viagem
num balão de gás
tantas miragens
coração em paz
preenchendo nuvens
com as cores,
contornando montanhas
com as flores...

Uma paisagem
uma visão a mais
há tantas margens
na ilusão de um cais
detalhando as ondas
com espuma,
desenhando a noite
com bruma....

E outro sonho
vai com a madrugada
namorada do dia
com o tempo de mãos dadas

sábado, 12 de janeiro de 2013

Beijo do sol



Um beijo 
de sol
derrete 
uma montanha
de gelo
se eu vejo
algum farol
pintando
a escuridão
com todo zelo
pra mostrar
a direção
do seu espelho,
até eu me achar
no mar 
do seu olhar...

Tudo
em volta
se tinge
de vermelho
e o oceano
de nuvens
faz ondas
no castelo,
quando
os arco-íris
tocam as
cordas dos
violoncelos,
fazendo acordes
dos momentos felizes...

Perdoem 
seus deslizes,
são pingos
de chuva
no óleo
sobre a tela,
atrizes
e lágrimas
no fim de 
uma novela,
perdendo
as diretrizes,
soprando
as próprias
velas...

Uma brisa,
uma lufada de vento,
um vendaval violento,
que chega e nem avisa...

O resto
é duro lamento
é puro sentimento
que derrete no tempo
como o gelo da montanha
sob o beijo do sol...



Crônica poemática



Única:
franca,
breve,
companheira
Túnica:
branca,
leve,
passageira...
Verdadeira
e prática!
Sob o tornozelo
o inverno
se expõe
em colunas
de neve
cônicas
e as tempestades
iônicas
derretem
a superfície
deste gelo!
Está na pele,
está no pelo, 
está no zelo
que tudo repele
quando resta dúvida
quando rola a dívida
que tudo se divida
por amor...
O hábito,
o óbito,
o hálito,
o vômito,
o cálice,
o tópico,
o fale-se,
a tônica!
Resta alguma
crônica
em forma
de poema
para afastar
o problema
e resolver
o dilema
da existência
cósmica...
Sônica
versão
de um mesmo
tema,
na inversão
silábica
da palavra
cômica...

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Irmã Querida



Não se entregue
à dor, minha irmã,
seja manhã!
Quem está
no fim do dia
precisa do seu sol,
suplica seu calor
e o brilho da esperança
nos seus olhos!
Se entregue
ao amor, minha irmã,
veja o amanhã!
Quem está
vivendo a noite
precisa de um farol,
deseja algum sinal
de alegria em seus olhos!
No final da estrada
todos nos encontraremos!
Mas, por hora,
continua a caminhada!
Tem gente lá na frente,
deixando rastros na estrada
e gente que vem vindo
precisando de nossas pegadas!
Não se entregue 
à dor, minha irmã,
chame-a de irmã!
Com Deus, 
tudo é possível,
até quando tudo
parece um nada!

Até tu?




Retire o punhal
suavemente
reveja o sinal
à sua frente
não há nenhuma
notícia no jornal
sobre os escorpiões
indiferentes
que não conseguem ser sal,
nem luz, nem transparentes...

Há tantos frutos
no quintal...
É primavera!
Há tantos "Brutus"
com punhal,
na sala de espera...
Mas na foto
eu vejo sua imagem
limpa como a paisagem
que todos eles esperam...

Retire suavemente
o punhal...
Enterre o temporal
e siga em frente!
Revele seu lado
mais natural!
Revele-se 
ainda mais gente!

Também há "Plutos"
nos quintais...
Fiéis, verdadeiros,
presentes...
Coloque os sonhos
nos varais
pra deixá-los
ainda mais reluzentes!

Apenas retire o punhal...
Ignore solenemente
os arautos do mal
e siga em frente!

O amor é o retrato final
de quem retira o punhal
do coração e da mente!